sábado, 2 de maio de 2009

Reunido de emergência Governo já tem plano infalível contra a gripe suína

Após a realização de um Conselho de Ministros extraordinário, devido à preocupação sentida com a possibilidade da gripe suína chegar a Portugal, o Governo já encontrou uma maneira de evitar que aquela epidemia se espalhe por território nacional.
Durante um aceso debate que se caracterizou, a dado passo, por uma fuga em massa da sala após um espirro de Mário Lino, que sentiu algumas dificuldades em convencer os seus companheiros da impossibilidade de estar infectado com o vírus, eis que dos seus argumentos nasce a ideia magistral que tudo resolve neste âmbito.
Numa altura em que a própria Ministra da Saúde, Ana Jorge, já desesperava e só pensava em telefonar a Francisco George para que este, com o seu habitual optimismo capaz de o guindar no futuro, caso algo suceda a Constâncio, ao cargo de Governador do Banco de Portugal, lhe voltasse a garantir que se isso por hipótese altamente remota viesse a acontecer não haveria problema algum, e se houvesse ele se encarregaria de o resolver, e que se o não conseguisse também não faria mal algum, pois tudo ficaria em paz passados os estertores da morte, Mário Lino surpreendeu tudo e todos com a seguinte tirada filosófico-política: "E, para mais, qual é a praga que resiste perante outra praga ainda maior?"!
Estava encontrada a solução para o problema, e foi um feliz Pedro da Silva Pereira que anunciou à comunicação social que, caso fosse conhecido um único caso oficial de gripe suína em Portugal o Governo em peso iria deslocar-se ao local onde estivesse o paciente para eliminar de imediato o perigo social de contaminação.
Quando questionado se o fariam abatendo a vítima, o Ministro da Presidência riu-se muito e, depois de confessar que essa solução esteve, de facto, em cima da mesa para análise e quase ganhou por unanimidade, esclareceu, de forma lapidar, que o sucesso estava garantido. Bastava mobilizar todos os membros do Governo e ir ao local, uma vez que seria impossível existir, em Portugal, praga maior neste momento. E esta, muito mais violenta, arrasaria a outra.
Perguntamos, então, nós: era suposto ficarmos mais descansados?
Hic Hic Hurra

2 comentários:

Ana disse...

O meu caro vizinho ia-me deixando quase sem fôlego, com esta quase acta post Conselho de Ministros.
E depois acaba deixando-nos perante uma praga ainda maior?

Ó Cristo, que mal fizemos para levarmos com isto?

À sua!

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

E a via para o martírio ainda só está no início!

Deus tenha piedade de nós, os tugas!!!

À Sua!!!

Hic Hic Hurra