sábado, 24 de janeiro de 2009

Manoel de Oliveira vai fazer filme sobre obra de Saramago

O sempre jovem e enérgico cineasta Manoel de Oliveira, que este ano completou 100 juvenis primaveras, não consegue estar parado mais tempo que um grande plano num dos seus filmes e, depois de ter lido o último livro de José Saramago, intitulado A viagem do elefante, resolveu arregaçar as mangas, pegar na câmara ainda a manivela e partir à aventura que é a de transportar para a película as palavras contidas nas páginas de papel.
A villa deslocou-se ao local onde irão decorrer as primeiras filmagens para entrevistar aquele realizador português, tendo deparado com um excitadíssimo Manoel de Oliveira, que faz questão de, por seu próprio pé, inspeccionar todos os pormenores que envolvem a feitura do filme, o que o leva a percorrer, por exemplo, a distância entre a cadeira do realizador e o local onde está situado o cenário, 200 metros adiante, no inacreditável tempo de 7 horas e 28 minutos (novo recorde pessoal), demorando apenas 13 horas e 18 minutos para transmitir instruções precisas aos actores e restante pessoal ali presente e regressando, imaginem só, à cadeira de onde partiu numas miseráveis 8 horas e 46 minutos, por se haver detido para se aliviar junto a uma árvore existente naquele lugar.
Quando entrevistado pela villa, fez saber que está muito orgulhoso de ter tido esta ideia, uma vez que, como ele próprio fez questão de referir, "todos sabem que eu tenho esta necessidade de nunca deixar nada por fazer! Filme que eu comece tem de ser filme que eu acabe! Ora, isto vai permitir que eu viva, pelo menos, mais 100 anos, ao ritmo a que eu rodo! E já fiz saber ao Zé, lá em Lanzarote, que conto com ele e com a Pilar para a estreia do filme, aprazada para o Cinema São Jorge, no dia 25 de Abril de 2109. Aliás, faço questão de lhe entregar a si, que me veio entrevistar, este convite para si e um acompanhante, para a ante-estreia a realizar no dia 22 de Abril, num qualquer cinema Lusomundo que ainda esteja a funcionar!".
Pois é pessoal, quando dois monstros sagrados se juntam, a idade para nada interessa!
Hic Hic Hurra
PS - Assinado: ANA!

4 comentários:

cornaca disse...

Ó Zé, quando dois monstros sagrados se juntam, o resultado é o que a fotografia da entrada seguinte ilustra.
Não sei se o eterno Manoel é tão destemido como o Piruças, mas é bom não esquecer que o elefante é danado para a trombada...

Ana disse...

Aqui está um texto que eu não me importava nada de assinar...

Uma beleza!

À sua!

Ze_Cuscopos disse...

Caro cornaca,

A isso chamo eu um... ajuntamento gigantesco!

E tiram à sorte para saber quem é o activo e o passivo ou jogam à... roda bota (para) fora?

Hic Hic Hurra

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Muito agradecido pelo simpático comentário.

Não seja por isso...

Hic Hic Hurra