quinta-feira, 22 de abril de 2010

A villa mandou abater todos os galináceos do quintal do nosso Nero

Depois de ler as últimas notícias que dão como quase certo que quem ingere muitas hormonas de frango tem grandes hipóteses de vir a descambar em gay, parti desenbestado em direcção ao quintal do nosso Nero, onde sei que faz criação de galinhas.
Mas, quando chegámos ao local, encontrámos o Senhor Inspector a afagar as penas de um galo que, desconfiado, nem cantarolava, tendo o nosso estimado colega de blogue tido a gentileza de nos confirmar que tinha acabado de comer um franguinho no churrasco quando sentiu uma incontrolável necessidade de se deitar na palha do galinheiro, assim bem juntinho a um exemplar masculino da espécie avícola em questão.
Cá para nós, se ele não tiver cuidado (e referimo-nos ao galo, como é évidente), ainda acaba comido.
Teríamos pena se assim fosse!
Hic Hic Hurra

6 comentários:

Red Eagle disse...

Grande regresso vizinho...

Ana disse...

Isto é que anda uma razia por aqui, hein?

Lá mais acima são as aranhas, aqui são os galináceos...
O Inspector se não se acautela...

À VOSSA!

Ze_Cuscopos disse...

Caro vizinho Red Eagle,

Agradeço as simpáticas palavras de acolhimento.

Fazem-nos bem!

Obrigado!

Um abraço.

Hic Hic Hurra

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

O nosso Inspector é mais dado ao aconchego.
É que cautelas e caldo de galinha... ai, lá estamos nós nos galináceos outra vez!!!

Será uma Praga pior do que a que assolou o nosso Cavaco, via B.B.?

Hic Hic Hurra

Ana disse...

Ó Zé, só volto aqui, agora em tom mais sério, para lhe dizer quanto este seu comentário me fez recordar o nosso Mestre do trocadilho!

Um beijinho

Ze_Cuscopos disse...

Cara Ana,

Este gosto pelo trocadilho era (detesto usar o verbo ser no passado) comum.

Apenas uma de muitas afinidades, que nos levaram a poder conhecer o verdadeiro Mestre dos trocadilhos.

E isso é algo que nunca esquecerei...

Obrigado pelo comentário e um grande beijinho para quem nos compreende bem e, igualmente, partilha deste nosso amor ao trocadilho enquanto forma de humor.

Bem haja, Ana!!!

À Sua!!!

Hic Hic Hurra