quarta-feira, 27 de maio de 2009

Em total consonância com Vital Moreira

O Governador do Banco de Portugal veio hoje defender a criação de um imposto único europeu (se fosse a abolição é que nos surpreenderia) que, de início, seria uma pequenina fatia do vencimento dos trabalhadores dos vários Estados-Membros.

Seis meses depois, e tal como sucedeu com as taxas de juro bancárias até o BCE ter decidido reduzi-las, admite igualmente esticá-lo um "poucochinho", mas nada do outro mundo.
Começamos, assim, a acreditar que, de facto, este homem tem poderes de super visão!
Hic Hic Hurra

2 comentários:

moira guedes disse...

É a chamada consonância na constância de uma "eminância" que de parda nada tem.
O Tribunal deu como provadas as agressões à desgraçada Leonor Cipriano, mas absolve os rapazes da PJ.
O Vítor foi de apreciável constância na cegueira, mas continua a encher os bolsos e a debitar sábios palpites sobre o estado da Nação.
É caso para perguntar que país é este?

Ze_Cuscopos disse...

Caro moira guedes,

Nem eu perguntaria melhor, de facto.

Olhe que a parte final da sua questão era bem capaz de ser um bom título para um livro.

Se alguém se lembrar disso, é claro...

Quanto ao nosso amigo Constâncio, o nome diz tudo... Podem até depenar um banco nas suas barbas que ele, constantemente, vai continuar a dizer que o Banco de Portugal não poderia prever o infeliz acontecimento.

É um visionário. Um homem dotado de grandes poderes de visão. Que não são normais. São de supervisão!!!

Hic Hic Hurra

Hic Hic Hurra