sábado, 25 de abril de 2009

Terceira idade lusitana vai passar a ser a mais saudável do planeta

E exulta de alegria com o anúncio feito pelo Governo que lhes confere medicamentos genéricos à borla caso recebam pensões de valor inferior ao do salário mínimo nacional.
A villa foi logo para a rua, em busca destes resistentes, pois o seguro morre de velho e nós queremos que eles nos digam o que pensam a respeito desta novidade.
Felismino Gágá, na foto, em declarações que tivemos de gravar, para tradução póstuma, devido à falta de dentes que lhe dificultava a fala, revelou-nos que está "sinceramente agradecido ao Governo por finalmente se lembrar que eu existo. Espero é que eles considerem que o facto de não ganhar pensão alguma não seja factor impeditivo para poder beneficiar deste autêntico prémio que será poder ingerir medicamentos com água do chafariz público do Rossio sem ter de os pagar. Espero, por outro lado, que o Viagra tenha um genérico, pois ando de olho numa velhinha cega e meio paralítica que, por isso mesmo, desta vez não me há-de escapar!", concluiu feliz, piscando-nos o olho enquanto um fio de baba lhe escorria pelo queixo e a lascívia se apoderava de si.
Gurmesindo Chéché, outro dos entrevistados, residente na Circunvalação mas a passar umas mini-férias num lar em Lisboa, fez questão de nos esclarecer que "essa merda é uma notícia do caralho, pá! A malta andaba p'ráqui toda partida, toda fodida dos ossos e o catano e agora bamos, finalmente, poder chegar ao cabrôn do farmacêutico que nos negaba o medicamento e espetar-lhe com o dedo estendido nas fuças, enquanto exclamamos: biste, ó paneleiro, com o que é que te bou pagar? Ora chucha lá aqui nas partes c'até dói e passa para cá o genérico se nôn queres que te parta o estaminé todo à bengalada!".
Finalmente, Maria do Amparo e das Dores, uma sexagenária toda enxuta que encontrámos a pedir um subsídio para alimentação à saída do Metropolitano, só através de nós teve conhecimento desta nova medida do Governo e, lavada em lágrimas, extremamente emocionada, confessou-nos "que eu sempre soube que aquele menino José, que Deus o conserve, com um nome tão profundamente bíblico, pois é o mesmo do carpinteiro da Nazaré que rezava três avé-marias todos os dias antes de fechar a loja e contar o quanto havia ganho nesse dia, tinha uma especial predilecção por nós, os desfavorecidos da vida. Eu própria, já viúva, que ganho uma pensão no valor de 76,96 € mensais, não sei o que é chupar um rebuçadinho do dr. Bayard desde 1983, pois tive de cortar nos remédios e chupar outras coisas para poder comprar comida. Com a mais-valia de ser uma medida que vai abranger 90% dos idosos de Portugal, pois, sinceramente, nem conheço ninguém que ganhe pensões acima do ordenado mínimo. Meu querido filho, que Nosso Senhor te abençoe pela notícia e, se por acaso não te causar transtorno, se tivesses por aí uma moedinha ou uma notita de 5 € que não te fizesse falta, a mim dava-me um certo jeito. E não é para a droga, que essa agora vai ser à borla!".
Mais uma medida feliz deste Executivo, como se pode depreender.
Eles são macacos velhos nisto de fazer política em vésperas de eleições, lá isso são!!!
Hic Hic Hurra

4 comentários:

Red Eagle disse...

Fabuloso... :)

Ticha disse...

E como será depois das eleições?!

Ze_Cuscopos disse...

Caro vizinho Red Eagle,

Agora deixou-me a mim sem palavras.

Obrigado pelo comentário!

Hic Hic Hurra

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ticha,

O stress pós-eleitoral acarreta, desde logo, uma amnésia profunda relativamente às promessas políticas e uma paulatina reforma das medidas tomadas em período pré-eleitoral.

Cheira-me, a mim que tenho um olfacto apuradíssimo, que este Governo não constitui excepção à regra.

Tenho 4 anos de maus motivos para o prever...

Hic Hic Hurra