sábado, 24 de janeiro de 2009

A villa possui um exclusivo mundial

A única fotografia disponível das aves que causaram o último acidente aéreo ocorrido nos Estados Unidos da América.
Valeu o sangue frio do piloto, e alguma dose de sorte, para que tudo não acabasse em tragédia.
O terrorismo, de facto, não conhece limites...
Como é que se dirá quá-quá em árabe?
Hic Hic Hurra

4 comentários:

patibular disse...

Será isto um pato de não agressão?

Ana disse...

Pelos turbantes vê-se que são realmente patos da raça talibã.
A engenharia genética não conhece limites!

À sua!

Ze_Cuscopos disse...

Caro patibular,

Só de acordo com as regras "em postas" pelo novo Acordo Ortográfico.

Embora tenhamos "penas" que assim seja.

Hic Hic Hurra

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Foram muitas horas de preparação em lagos iraquianos.

Não sabemos se o paraíso destas aves também tem umas quantas fêmeas virgens à sua espera, mas a alternativa proposta pelos terroristas que os treinaram tinha a ver com arroz, com o forno e mais qualquer coisa que levou os bichinhos a escolher esta vida (ou morte).

Não se pode dizer que as suas carreiras profissionais almejem a grandes voos, mas ainda assim sempre é melhor que ser pato-bomba nos jardins da Gulbenkian, por exemplo...

À Sua!!!

Hic Hic Hurra