sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Azares acontecem, não é verdade?

Que o diga o cidadão que, no belo reino da Dinamarca, não sabemos se depois de ter sido submetido à tortura das listas de espera para as cirurgias (com sucede aqui na nossa República à beira-mar plantada), decidiu submeter-se a uma operação para remoção de algo a mais no traseiro.
Sucede que, como se revela na notícia, o sujeito em questão viu-se, de repente, acometido de um ataque de flatulência e, em resultado do mesmo, tendo em atenção que o instrumento médico utilizado possibilitava tal reacção, viu os seus genitais virarem flambée.
Ele há dias de sorte, realmente...
Hic Hic Hurra
Post Scriptum - Tenho de ter isto em atenção para nunca ir com bafo a vinhaça e arrotar durante uma operação às amígdalas!

2 comentários:

Ana disse...

É o que eu sempre digo: em dia escolhido para remoção de sinais no derrière, nunca se deve comer feijoada.
Que o diabo está sempre atrás da porta (não sei o que é isto, que a palavra "atrás" nos persegue por todo o lado) e prega-nos partidas desagradáveis.

Fogo!

À sua!

Ze_Cuscopos disse...

Cara Ana,

Tivesse esta ocorrência sucedido por alturas do Natal no Hospital de Torres Vedras, numa cirurgia realizada à luz das velas, e seria caso para se dizer que, apesar de tudo, ali faltou a luz mas nunca o gás.

O que vale é que foi lá fora!

À NOSSA!

Hic Hic Hurra