sexta-feira, 12 de junho de 2009

Governo é a surpresa das Marchas Populares deste ano












Depois de um decepcionante resultado nas eleições para o Parlamento Europeu (quase que arriscaríamos afirmar que foi um resultado para lamentar), o Governo já levantou a cabeça e, numa atitude sem precedentes na Europa (que talvez se fique a dever ao facto dos outros países europeus não conhecerem esta realidade), decidiu participar no desfile deste ano das Marchas Populares, concorrendo ao lado de pesos-pesados tais como Marvila, Alfama, Bica ou Alcântara.
A decisão, inédita, foi tomada no rescaldo da derrota e obrigou todos a um esforço suplementar, com ensaios todos os finais de tarde em São Bento, sob a batuta de Maria de Lurdes Rodrigues.
A cantiga que vão entoar, enquanto desfilam, é da autoria de Manuel Alegre e a villa não podia deixar de se associar ao evento publicando a letra, na íntegra, para que todos possam traulitar os versos aquando da passagem da Marcha do Governo pela Avenida da Liberdade:
A Marcha do Governo
A marcha dos governantes
Veio para encantar
Nada será como antes
Depois de os ver marchar
Há sardinha, broa e vinho
E o povo perde o tino
Nesta economia do Pinho
Não há deserto p'ró Lino
Jaime Silva dá incentivos
Para o requeijão de Seia
Onde não existem parasitas vivos
Graças ao Nunes Correia
À cabeça deste desfile
Vem já gago o Mariano
Asneiras são mais de mil
Mas a Lurdes passa-os d'ano
Vieira da Silva mete o dia
E vai p'rá noite com o Costa
Rui Pereira já não tem azia
E é disto que o povo gosta
Salta o Pinto Ribeiro
E rebola o Silva Pereira
P'ra ver quem chega primeiro
Ao arsenal do Severiano Teixeira
O tempo é de alegria
Não há lugar para prantos
"As contas ficam par'outro dia"
Canta Teixeira dos Santos
A folia é geral
Repicam sinos, dedilha-se o alaúde
Pois se alguém se sentir mal
A Ana trata-lhe da saúde
Todos marcam seu lugar
Até o Primeiro aqui está
Com o Amado a gritar
Nem falta o porreiro, pá!
A marcha já terminou
E a música parou de tocar
Todo o Ministro debandou
Menos um, qu'inda ficou a malhar!
Hic Hic Hurra
Post-Scriptum - Este texto deve ser consumido ao som de uma qualquer marcha popular, para as fotografias fazerem efeito. Como alternativa, serve o mamãe eu quero, mamãe eu quero, mamãe eu quero mamar...

6 comentários:

ANA.RCA disse...

Excelentes versos :)

Beijoca e camarão com pão! LOL

Ticha disse...

Tudo escolhido a dedo,
Grandes pictures e grandes versos!

carteiro disse...

O PS está à Bica de nova talhada e de Alcântara virão os contentores da infâmia.
Tudo parecia uma Marvila, mas a Graça perdeu-se, pá, Sócrates tem ALfama de ser ALdrabão, e se não tivesse comprado um andar fino Mouraria num tugúrio.
Enfim, a marcha ainda mal saiu do adro...
As fotos estão a matar e o texto tem a chancela do Zé. Assino por baixo...

Ana disse...

Grandes fotos, grande marcha!

Hoje já nos sentimos muito mais tranquilos, uma vez que por obra e Graça do destino, foi encontrada a papelada do andar de mamãe.

À vossa!

Red Eagle disse...

A mamarem tem andado eles este tempo todo, meu caro zé...

Ze_Cuscopos disse...

Caríssimos (e caríssimas) vizinhos (e vizinhas),

Sob o efeito vínico tive este sonho que era vê-los todos a marchar...

E foi tão lindo, por Baco!!!

Hic Hic Hurra