sexta-feira, 13 de março de 2009

Ministério da Administração Interna prepara nova alteração ao Código da Estrada

O grande causador de todo o problema pode ser visto neste instantâneo (não, não é o Boca Doce), tirado de um carro patrulha da Brigada de Trânsito da Guarda Nacional Republicana que se colocou em perseguição do motociclista que levava um pendura sem capacete.
O bom e o bonito foi depois, já interceptado o infractor, quando o agente de serviço, já com o auto de notícia todo elaborado e bonitinho, se lembra de ir procurar no Código da Estrada o artigo que continha a infracção e fica indeciso sobre a possibilidade de o punir.
Que o condutor do veículo tinha de ter capacete (e até tinha) é inegável. E o Código da Estrada também é inequívoco relativamente à obrigação (agora usa-se mais o termo obrigatoriedade) para o passageiro. Mas não define o que é que se deve entender por passageiro...
Resultado: a brigada autuante ficou tão cãofusa que não noticiou a infracção, deixou o condutor seguir no motociclo e escoltou o canito até casa, na viatura policial, enquanto não se apurava, ao certo, a qualidade do bicho no transporte. Seria passageiro ou carga, eis a questão?
Que a villa deixa para quem nos visita resolver, já que, depois de tudo isto, confessamos que... só nos apetece é ganir!
Hic Hic Hurrra

4 comentários:

geneerre disse...

Não convém andar acãopanhado...

Ana disse...

Caro Zé:

Cãofesso que cãocordo cão que o cãodutor do velocípede apanhe uma multa exemplar, por transgrecão ao código.

E mais: de futuro, deverá cãoprometer-se a não adoptar de novo este cãoportamento que é incãopatível cão as leis vigentes.

Alteracão de leis?
Não cãopartilho dessa cãoplacência que me parece, aliás, totalmente incãopreensível.

À sua!

Ze_Cuscopos disse...

Caro geneerre,

Mas o ar primaveril a isso cãovida!!!

Hic Hic Hurra

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Caotemplando tão belo cãomentário, mal me posso cãoter quando exclamo: cãotinua em grande forma!!!

À Sua!!!

Hic Hic Hurra