sábado, 31 de janeiro de 2009

Um puto pode ser um herói de palmo e meio

Mas, caramba, também tem o direito de se arrepender do acto heróico que praticou.
Aliás, se o arrependimento matasse...
Hic Hic Hurra

4 comentários:

Ana disse...

Que isto nos faça pensar um bocadinho, antes de ajudarmos o ceguinho a atravessar a rua.
De repente apercebemo-nos de que era o Víctor Constâncio e arrependemo-nos logo da boa(?) acção praticada.

À sua!

matos além disse...

Faz lembrar a anedota dos três rapazolas que chegaram atrasados à escola e se desculparam dizendo que fora por causa da velhinha e da rua a atravessar.
E eram precisos 3?- estranhou a professora.
- Pois. É que a velha não queria atravessar.
Esta é tão velha como a velha que não queria...

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Essa foi baixa!!!

Ofender dessa forma a classe dos invisuais!!!

É que estes não podem ver, infelizmente, mas sentem e cheiram o que se passa à sua volta.

E o Constâncio não viu, não sentiu e nem lhe cheirou que estivesse a ocorrer algo de estranho em redor das instituições bancárias que o seu Banco de Portugal ia inspeccionar...

À nossa!

Hic Hic Hurra

Ze_Cuscopos disse...

Caro matos além,

Aliás, foi precisamente por se encontrarem inspirados pela bela lição professada nessa anedota que os actuais políticos governantes deste cantinho decidiram arregaçar as mangas e tomaram as belíssimas medidas cujas consequências estão bem à vista de todos (menos do Constâncio, como é bom de ver)!

Eles sim, são os nossos verdadeiros heróis!

Hic Hic Hurra